Eu queria começar um save no Fifa 2017 no modo carreira, e estava pensando num clube , então me veio a memoria umas das conversas de meu avô MANUEL FERREIRA LEITE DA GAMA (TEM FERREIRA E GAMA NO NOME ) com meu tio Avô ,isso na década de 80 mencionando que em suas "terrinhas" tinha um clube que se chamava VASCO DA GAMA, muito simpático e tal, e que posteriormente passaria e se chamar PAÇOS DE FERREIRA.

Pois bem, comecei o save do jogo com esse time, e fui me aprofundar de suas historias e feitos.
Conclusão e de se apaixonar, como se fosse uma paixão a primeira vista, linda historia e comprova tudo que meu avô falava desse clube.
Vou postar aqui a historia dele para todos, e eu virei um torcedor e colecionador  do clube , afinal além dele carregar a cruz de malta, um dia se chamou Vasco da Gama...."união BRASIL - PORTUGAL.
Apresento PAÇOS DE FERREIRA .
"POR PAÇO ESFORÇOS E VITORIA"







"A origem do futebol em Paços de Ferreira remonta à década de 30, quando a modalidade começou a ser praticada pelo Sport Club Pacense, colectividade sediada em Meixomil, uma das freguesias do concelho.
Foram duas décadas de futebol popular e sem expressão oficial, até que uma reorganização competitiva e o aparecimento do velho Campo da Cavada, motivou a fundação - em 5 de Abril de 1950 - do Futebol Clube Vasco da Gama, colectividade que está na génese do actual F. C. Paços de Ferreira, designação que o Clube passou a utilizar no começo da temporada 1961/62. Foram questões de ordem estatutária a motivar esta mudança, que coincidiu também com a troca do seu equipamento amarelo para um idêntico ao utilizado pelo F. C. Porto. O primeiro título nacional conseguido foi o da 3ª Divisão, a 14 de Julho de 1974, quando os pacenses invadiram o Estádio Municipal de Leiria e deram o impulso decisivo para a vitória (2-1) sobre o Estrela de Portalegre.
A 15 de Março de 1981, os sócios decidiram mudar as cores oficiais do equipamento que o clube utilizava, que passaram a ser as do concelho - amarelo e verde, mas o sonho há tanto perseguido da subida à 1ª Divisão Nacional apenas se tornou realidade no final da época 1990/91, quando de forma surpreendente o F. C. Paços de Ferreira se tornou no 1º Campeão do estreante campeonato nacional da Divisão de Honra. E foi com orgulho que durante três temporadas os pacenses jogaram de igual-para-igual com os «grandes» Benfica, F.C.Porto e Sporting. Essa alegria terminou em 1993/94 quando, pela primeira vez em 44 anos de história, o clube conheceu o sabor amargo da descida de divisão.
Um sentimento que seria ultrapassado seis anos mais tarde, na temporada 1999/2000, quando uma recuperação notável no campeonato da II Liga terminou em glória com o título nacional na última jornada da prova. Uma alegria extravagante acompanhou a equipa no decisivo encontro de Chaves e, mais uma vez, os adeptos ajudaram a equipa a fazer história.
Em 2000/2001, de novo do escalão máximo do futebol, o F. C. Paços de Ferreira fez um excelente campeonato e, justamente, afirmou-se como a equipa-sensação da competição, onde conseguiu vencer os três «grandes». Uma prestação que se repetiu nas duas épocas seguintes, onde conseguiu sempre melhorar os lugares alcançados na agora denominada SuperLiga.
Em 2002/2003 o Clube alcançou um honroso 6º lugar no campeonato e duplicou esse feito inédito, ao atingir as meias-finais da Taça de Portugal, ficando apenas arredado da final por ter perdido por 1-0 na Marinha Grande, frente à União de Leiria.
Despromovido à Liga de Honra no final da época 2003/2004, o Clube soube contornar esse momento menos feliz da sua história e rapidamente preparou o regresso ao campeonato principal do futebol português. Em 2004/2005 o FC Paços de Ferreira realizou uma notável campanha na Liga de Honra, que lhe garantiu a inédita subida a cinco jornadas do final da prova.
A marcante presença do FC Paços de Ferreira na I Liga continuou nas três épocas seguintes e teve o seu ponto alto com o 6º lugar alcançado na temporada 2006/07, que garantiu ao Clube uma histórica qualificação para a Taça UEFA. A estreia europeia do FC Paços de Ferreira teve lugar a 20 de Setembro de 2007, ao receber o AZ Alkmaar (HOL) no Estádio do Bessa, consentindo uma inglória e injusta derrota (0-1) perante um grande ambiente de fervoroso clubismo. No jogo da 2ª mão, na Holanda, os Castores voltaram a exibir-se em bom nível e o 0-0 manteve a expectativa até final sobre a eliminatória, neste marcante momento para o Clube.
A época 2008/09 ficará para sempre gravada na história no Clube, pois, para além de um tranquilo 10º lugar no campeonato, o Clube alcançou a sonhada presença na Final da Taça de Portugal. A festa teve lugar a 31 de Maio de 2009, no Jamor. O FC Paços de Ferreira perdeu a final por 1-0 frente ao FC Porto, mas bateu-se galhardamente pelo Troféu, apoiado por dez mil adeptos que pintaram de amarelo o Estádio Nacional.
A presença na final da Taça de Portugal permitiu ao FC Paços de Ferreira disputar a Supertaça, frente ao FC Porto (derrota por 2-0) e regressar às competições europeias de futebol, em 2009/10. Os Castores foram a primeira equipa portuguesa a disputar a nova Liga Europa, na qual se estrearam empatando na Moldávia (0-0) frente ao Zimbru Chisinau, equipa que derrotaram (1-0) em Guimarães, conseguindo passar pela primeira vez uma eliminatória europeia. A queda na ronda seguinte frente ao Bnei Yehuda (Israel) não tirou mérito a este novo feito.
A temporada 2010/11 voltou a ser brilhante para o FC Paços de Ferreira. Para além do 7º lugar no campeonato, atingiu a final da Taça da Liga, uma das competições mais importantes do calendário nacional. A equipa pacense defrontou o SL Benfica num grande ambiente festivo que emoldurou o Estádio de Coimbra e, apesar da derrota (2-1), creditou com orgulho mais uma final na sua história.
No escalão maior do futebol português a equipa da «Capital do Móvel» continua a honrar o seu lema: «Por Paços, Esforço e Vitória».

Kit futpaper - Paços de Ferreira - Uma paixão que chegou.


Eu queria começar um save no Fifa 2017 no modo carreira, e estava pensando num clube , então me veio a memoria umas das conversas de meu avô MANUEL FERREIRA LEITE DA GAMA (TEM FERREIRA E GAMA NO NOME ) com meu tio Avô ,isso na década de 80 mencionando que em suas "terrinhas" tinha um clube que se chamava VASCO DA GAMA, muito simpático e tal, e que posteriormente passaria e se chamar PAÇOS DE FERREIRA.

Pois bem, comecei o save do jogo com esse time, e fui me aprofundar de suas historias e feitos.
Conclusão e de se apaixonar, como se fosse uma paixão a primeira vista, linda historia e comprova tudo que meu avô falava desse clube.
Vou postar aqui a historia dele para todos, e eu virei um torcedor e colecionador  do clube , afinal além dele carregar a cruz de malta, um dia se chamou Vasco da Gama...."união BRASIL - PORTUGAL.
Apresento PAÇOS DE FERREIRA .
"POR PAÇO ESFORÇOS E VITORIA"







"A origem do futebol em Paços de Ferreira remonta à década de 30, quando a modalidade começou a ser praticada pelo Sport Club Pacense, colectividade sediada em Meixomil, uma das freguesias do concelho.
Foram duas décadas de futebol popular e sem expressão oficial, até que uma reorganização competitiva e o aparecimento do velho Campo da Cavada, motivou a fundação - em 5 de Abril de 1950 - do Futebol Clube Vasco da Gama, colectividade que está na génese do actual F. C. Paços de Ferreira, designação que o Clube passou a utilizar no começo da temporada 1961/62. Foram questões de ordem estatutária a motivar esta mudança, que coincidiu também com a troca do seu equipamento amarelo para um idêntico ao utilizado pelo F. C. Porto. O primeiro título nacional conseguido foi o da 3ª Divisão, a 14 de Julho de 1974, quando os pacenses invadiram o Estádio Municipal de Leiria e deram o impulso decisivo para a vitória (2-1) sobre o Estrela de Portalegre.
A 15 de Março de 1981, os sócios decidiram mudar as cores oficiais do equipamento que o clube utilizava, que passaram a ser as do concelho - amarelo e verde, mas o sonho há tanto perseguido da subida à 1ª Divisão Nacional apenas se tornou realidade no final da época 1990/91, quando de forma surpreendente o F. C. Paços de Ferreira se tornou no 1º Campeão do estreante campeonato nacional da Divisão de Honra. E foi com orgulho que durante três temporadas os pacenses jogaram de igual-para-igual com os «grandes» Benfica, F.C.Porto e Sporting. Essa alegria terminou em 1993/94 quando, pela primeira vez em 44 anos de história, o clube conheceu o sabor amargo da descida de divisão.
Um sentimento que seria ultrapassado seis anos mais tarde, na temporada 1999/2000, quando uma recuperação notável no campeonato da II Liga terminou em glória com o título nacional na última jornada da prova. Uma alegria extravagante acompanhou a equipa no decisivo encontro de Chaves e, mais uma vez, os adeptos ajudaram a equipa a fazer história.
Em 2000/2001, de novo do escalão máximo do futebol, o F. C. Paços de Ferreira fez um excelente campeonato e, justamente, afirmou-se como a equipa-sensação da competição, onde conseguiu vencer os três «grandes». Uma prestação que se repetiu nas duas épocas seguintes, onde conseguiu sempre melhorar os lugares alcançados na agora denominada SuperLiga.
Em 2002/2003 o Clube alcançou um honroso 6º lugar no campeonato e duplicou esse feito inédito, ao atingir as meias-finais da Taça de Portugal, ficando apenas arredado da final por ter perdido por 1-0 na Marinha Grande, frente à União de Leiria.
Despromovido à Liga de Honra no final da época 2003/2004, o Clube soube contornar esse momento menos feliz da sua história e rapidamente preparou o regresso ao campeonato principal do futebol português. Em 2004/2005 o FC Paços de Ferreira realizou uma notável campanha na Liga de Honra, que lhe garantiu a inédita subida a cinco jornadas do final da prova.
A marcante presença do FC Paços de Ferreira na I Liga continuou nas três épocas seguintes e teve o seu ponto alto com o 6º lugar alcançado na temporada 2006/07, que garantiu ao Clube uma histórica qualificação para a Taça UEFA. A estreia europeia do FC Paços de Ferreira teve lugar a 20 de Setembro de 2007, ao receber o AZ Alkmaar (HOL) no Estádio do Bessa, consentindo uma inglória e injusta derrota (0-1) perante um grande ambiente de fervoroso clubismo. No jogo da 2ª mão, na Holanda, os Castores voltaram a exibir-se em bom nível e o 0-0 manteve a expectativa até final sobre a eliminatória, neste marcante momento para o Clube.
A época 2008/09 ficará para sempre gravada na história no Clube, pois, para além de um tranquilo 10º lugar no campeonato, o Clube alcançou a sonhada presença na Final da Taça de Portugal. A festa teve lugar a 31 de Maio de 2009, no Jamor. O FC Paços de Ferreira perdeu a final por 1-0 frente ao FC Porto, mas bateu-se galhardamente pelo Troféu, apoiado por dez mil adeptos que pintaram de amarelo o Estádio Nacional.
A presença na final da Taça de Portugal permitiu ao FC Paços de Ferreira disputar a Supertaça, frente ao FC Porto (derrota por 2-0) e regressar às competições europeias de futebol, em 2009/10. Os Castores foram a primeira equipa portuguesa a disputar a nova Liga Europa, na qual se estrearam empatando na Moldávia (0-0) frente ao Zimbru Chisinau, equipa que derrotaram (1-0) em Guimarães, conseguindo passar pela primeira vez uma eliminatória europeia. A queda na ronda seguinte frente ao Bnei Yehuda (Israel) não tirou mérito a este novo feito.
A temporada 2010/11 voltou a ser brilhante para o FC Paços de Ferreira. Para além do 7º lugar no campeonato, atingiu a final da Taça da Liga, uma das competições mais importantes do calendário nacional. A equipa pacense defrontou o SL Benfica num grande ambiente festivo que emoldurou o Estádio de Coimbra e, apesar da derrota (2-1), creditou com orgulho mais uma final na sua história.
No escalão maior do futebol português a equipa da «Capital do Móvel» continua a honrar o seu lema: «Por Paços, Esforço e Vitória».

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário